Instagram
Voltar

NOTÍCAS / ESPORTES NÁUTICOS

Festa da Brazilian Storm. Mineirinho campeão Fonte: Kirstin/ASP
  • Mineiro arrepiando em Bells Fonte: Kirstin/ASP
  • Nat Young, o goofy do evento Fonte: Kirstin/ASP
  • Filipe Toledo foi barrado por Jordy Smith Fonte: Kirstin/ASP
  • Jordy Smith quebrou em todo o evento Fonte: Kirstin/ASP
  • Kai Otton parou nas quartas diante de Taj Fonte: Kirstin/ASP
  • Taj Burrow chutando a rabeta Fonte: Kirstin/ASP
  • Willian C. conquistou o melhor resultado na elite Fonte: Kirstin/ASP
  • Mineirinho sendo recepcionado Fonte: Kirstin/ASP
  • Mineirinho comemorando Fonte: Kirstin/ASP
  • Tocando o sino com toda vontade do mundo Fonte: Kirstin/ASP
  • Depois de quebrar o sino, Mineiro badalou Fonte: Kirstin/ASP
  • Rip Curl Pro Bells Beach Fonte: Kirstin/ASP
  • Rip Curl Pro Bells Beach Fonte: Kirstin/ASP

MAIS ESPORTES NÁUTICOS

Anterior Próxima

Rip Curl Pro Bells Beach: Adriano de Souza quebra e toca o sino

02/04/2013 -

Após ser o primeiro brasileiro a ocupar o posto de número um do ranking mundial, Adriano de Souza, o Mineirinho, fez história novamente no cenário do surf mundial. Nesta terça-feira (segunda-feira à noite no horário de Brasilia – 01 de abril), o surfista do Guarujá inscreveu seu nome na galeria de campeões do Rip Curl Pro Bells Beach, a competição mais tradicional do circuito da Associação dos Surfistas Profissionais (ASP).


Na final, em ondas de até dois metros, bem balançadas pelo vento maral e a chuva, Adriano de Souza bateu o norte-americano Nat Young, um dos rookies do evento, por 16,23 (8.83/7.43) a 15,83 (8.33/ 7.50). Com o resultado, o paulista chegou ao quarto lugar no ranking mundial liderado ainda pelo norte-americano Kelly Slater. Taj Burrow é o segundo, e Mick Fanning, o terceiro.

Adriano de Souza vibrou muito ainda dentro d'água. Na beira da praia, foi recebido pelo português Tiago Pires e carregado nos ombros com auxílio de Willian Cardoso. Filipe Toledo fazia a festa junto com os outros brasucas. A vitória também tem um significado especial para Mineirinho, que passou a ser patrocinado pela Pena, uma marca 100% brasileira.

Último dia – O dia começou com a classificação de Taj Burrow diante de Kai Oton, e com a derrota de Willian Cardoso para Nat Young. Ao contrário da segunda-feira, Willian não entrou em sintonia com a difícil onda de Bells Beach e o seu famoso bowl. Nat usou o seu backside afiado para deixar o catarinense sem chance de reação.

Em seguida, Adriano de Souza encarou Mick Fanning. O australiano é um especialista em Bells, e chegou a ganhar uma prioridade "de presente" no meio de uma bateria devagar, mas Adriano somou duas boas ondas e Fanning ficou precisando de uma segunda boa onda.

Depois foi a vez de Filipe Toledo enfrentar Jordy Smith. O sul-africano estava encaixado nas direitas. De frontside, Smith desenhava uma linha clássica que impressionou os juízes desde o primeiro dia de competição. As condições do mar também se deterioraram bastante e de nada adiantou os assobios do pai de Filipe, para mudar a situação dentro do mar. Com rasgadas perfeitas e muita fluidez, Jordy venceu com facilidade. Apesar da derrota, Filipe Toledo, 18 anos, já ocupa a oitava colocação no ranking e é um nome para se observar no Rio de Janeiro.

Semifinais – Na disputa entre a experiência de Taj Burrow e o backside de Nat Young, melhor para o estilo. Único goffyfooter das semis, Nat Young parecia ter uma fórmula mágica para desferir rasgadas e finalizações nas direitas. Ele ainda precisou da última onda para vencer Taj, que apesar da derrota, voltou ao Top 5.

A bateria de Adriano de Souza contra Jordy Smith foi uma lição de persistência. Jordy seguiu fazendo o que dava certo, rasgando, entrando no trilho, atacando o lip e rasgando novamente. Colocou o brasuca em combinação, mas Mineiro teve paciência para voltar à disputa, sempre com uma primeira manobra forte e um lay back animal para finalizar as ondas.

Mesmo sem ter a prioridade e mais no inside, o atleta Pena arriscou uma onda e conseguiu aumentar a vantagem. Jordy ainda teve uma última chance, e quando a nota saiu, aquela onda sem prioridade surfada por Mineirinho se revelou crucial para a vitória por 0.4 décimos.

Final – Adriano de Souza nem quis esperar pelo tempo reservado para o descanso. O vento maral soprava mais forte e as ondas foram se deteriorando. Diante do rookie deste começo do ano, Adriano tratou de colocar pressão com uma sucessão de três a quatro manobras nas primeiras ondas, que lhe garantiram uma vantagem nos primeiros 15 minutos.

Com apenas uma boa onda, Nat precisava de um 7.54 para virar, mas as séries não ofereciam muitas possibilidades. O tempo foi passando, e quando o americano conseguiu pegar a segunda boa onda, Adriano respondeu a altura. Faltando 30 segundos, uma série apareceu e Nat estava melhor posicionado. Mais no inside, o brasileiro ficou assistindo ao americano remar.

Faltavam 10 segundos e Nat não conseguiu entrar na onda. Adriano ergueu as mãos para cima e começou a comemorar. Foi a quarta etapa do circuito mundial vencida pelo surfista paulista. Depois de Mundaca-2009, Rio-2011, e Portugal-2011, Adriano agora vai colocar a réplica do famoso sino de Bells na estante e ter seu nome gravado no troféu original como vencedor da 52ª edição do evento.

Comemoração – No pódio, Adriano de Souza lembrou que compete em Bells desde 2006 e que via Andy Irons, Kelly Slater e Mick Fanning vencer a competição e se perguntava se algum dia poderia fazer o mesmo. O paulista disse ainda ter ficado muito orgulhoso do seu trabalho durante o evento e fez questão de salientar o apoio da Pena que decidiu patrociná-lo após ter ficado sem o patrocínio principal no final do ano passado.

Depois, Mineirinho foi badalar o sino do troféu. Mas o surfista se empolgou tanto que ao chacoalhar a estrutura de madeira do troféu, o sino caiu no chão. Meio sem jeito, o brasileiro recolheu o sino do chão, colocou-o junto ao troféu e pediu desculpas ao público, mas logo foi brindado por uma réplica um pouco menor e voltou a tocar o sino como se fosse uma criança diante de tanta alegria.

RIP CURL PRO BELLS BEACH 
FINAL
Atleta País Pontos
Adriano de Souza BRA 16.26
Nat Young EUA  15.83
SEMIFINAIS
Atleta País Pontos
SF1º Nat Young EUA 15.10
Taj Burrow AUS 13.43 
SF2º Adriano de Souza BRA 18.44
Jordy Smith AFS 18.40
QUARTAS DE FINAL
Atleta País Pontos
QF 1 Taj Burrow AUS 15.50
Kai Otton AUS 14.50 
QF 2 Nat Young  USA 17.27
Willian Cardoso BRA 14.83
QF 3 Adriano de Souza  BRA 14.33
Mick Fanning AUS 13.76
QF 4 Jordy Smith   ZAF 16.77
Filipe Toledo BRA 13.20
ASP WCT TOP 5 (após duas etapas)
Atleta País Pontos
1º  Kelly Slater  EUA 11.750
2º  Mick Fanning  AUS 11.700
2º  Taj Burrow  AUS 11.700
4º  Adriano de Souza  BRA 10.500
5º  Joel Parkinson  AUS 9.750
6º  Nat Young  EUA 9.750

Redação: Estrela Náutica
Fonte:
Mar Aberto


Pagamento

Pagseguro UOL

Desenvolvimento

Desenvolvido por BR Web Design

ESTRELA NÁUTICA - Todos os direitos reservados

No Estrela Náutica, você vende ou compra a sua embarcação e tem acesso a um universo de informação, com fotos e vídeos das mais belas imagens. A seção Guia de Empresas traz os nomes do mercado que fornecem serviços, acessórios e produtos. Em Notícias, você encontra tudo sobre o mercado e a indústria náutica. Já em Esportes Náuticos, aprecie as modalidades mais praticadas e seus campeonatos principais. Novidades e eventos do ramo estão em Fique por Dentro. Na seção Colunas, entrevistas com profissionais do setor e entusiastas, que expõem seus conhecimentos e compartilham dicas excelentes. E para os marinheiros, de primeira viagem ou mais experientes, vale a pena conferir o Manual do Navegante.

O portal também proporciona a experiência de conhecer locais incríveis para navegar pelo Brasil. Com apenas alguns cliques na seção Onde Navegar, você ganha mais intimidade com os melhores pontos turísticos do País e seus estabelecimentos de qualidade.