Instagram
Voltar

NOTÍCAS / ESPORTES NÁUTICOS

Mitchel Coleborn fatura sua primeira vitória Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Mitchel Coleborn (AUS) Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Marc Lacomare conquista um 10 e o segundo lugar Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Marc Lacomare (FRA) Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Gabriel Medina termina em terceiro Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Gabriel Medina (SP) Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Raoni Monteiro também termina em 3º lugar Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Raoni Monteiro (RJ) Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Jadson André concluíu em 5º colocado Fonte: Daniel Smorigo/ASP
  • Pódio Fonte: Daniel Smorigo/ASP

MAIS ESPORTES NÁUTICOS

Anterior Próxima

Coca-Cola apresenta Quiksilver Saquarema Prime: Mitchel Coleborn conquista sua primeira vitória na carreira

27/05/2013 -

O Coca-Cola apresenta Quiksilver Saquarema Prime foi encerrado com o terceiro título australiano consecutivo na Praia de Itaúna. Mitchel Coleborn, 26 anos, repetiu o feito de Kai Otton, 33, em 2010 e de Matt Wilkinson, 24, no ano passado com sua primeira vitória na carreira. Na grande final, derrotou o francês Marc Lacomare, 22, que ganhou a única nota 10 do campeonato no domingo de praia lotada na "Cidade do Surf" da Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Os dois barraram os últimos brasileiros nas semifinais, com o paulista Gabriel Medina, 19, e o carioca Raoni Monteiro, 31, dividindo o terceiro lugar no pódio da etapa do ASP World Prime de Saquarema.


"Eu sabia que ia ser uma bateria difícil, mas tentei achar as melhores ondas e esperar pelos erros dele, então estou feliz porque a estratégia deu certo", disse Mitchel Coleborn. "A bateria foi muito louca. O (Marc) Lacomare tirou uma nota 10 na final e quase não acreditei. Fiquei bem nervoso com isso. Ele precisava de pouco mais de sete pontos para virar, mas tive sorte que ele não conseguiu outra onda boa para isso. A semana toda foi extraordinária aqui, deu altas ondas e estou bem feliz pela vitória".

O domingo decisivo foi mais um dia de Sol com altas ondas e praia lotada, formando um cenário perfeito para o Quiksilver Saquarema Prime. As séries demoravam mais pra entrar na Praia de Itaúna, mas as ondas de 3-5 pés (0,9 a 1,5 metro) continuavam apresentando boa formação para as manobras e proporcionando lindos tubos. A escolha das ondas ganhou peso decisivo para os resultados nas baterias, desde as quartas de final que abriram o último dia. Na grande final, o vento leste soprou mais forte e achatou um pouco as ondas, mas não impediu mais um show dos surfistas no Maracanã do surfe brasileiro. O francês Marc Lacomare até conseguiu a primeira e única nota 10 do campeonato.

"Apesar de não ter vencido, estou feliz pelo vice-campeonato também", falou Marc Lacomare. "Eu entrei na final bem cansado, mas ainda consegui essa nota 10 em uma onda incrível. Só que ainda precisava de um sete e pouco (7,6) para vencer e o tempo não foi suficiente para a virada. Mesmo assim, deixo Saquarema muito satisfeito. Obrigado a todos aqui, foi uma semana irada com altas ondas e certamente este resultado ficará marcado na minha história".

GRANDE FINAL

Os dois iniciaram a bateria final com ondas bem fracas, mas o francês Marc Lacomare largou na frente com notas 5,67 e 2,00. O ataque era o mesmo que ele usou para despachar Gabriel Medina nas semifinais, variando batidas e rasgadas executadas com velocidade no ponto mais crítico das ondas. Mas, o australiano começou a dar o troco com a força do seu frontside para jogar muita água nas manobras e assumir a ponta com notas 6,50, 8,93 e 8,67 em três ondas seguidas.

Com as duas maiores notas, aplicou uma "combination" no francês. O termo é utilizado como se fosse uma goleada no futebol, ou seja, quando o adversário fica precisando de mais de 10 pontos para reverter o resultado. Neste caso, Marc Lacomare teria que conseguir 17,61 pontos para vencer, já que suas duas maiores ondas eram inferiores as do australiano.

NOTA 10

Quando faltavam cinco minutos para o término da final, Lacomare achou uma ótima onda, surfou um tubo fantástico e aplicou mais uma série de quatro manobras muito fortes para ganhar a primeira nota 10 do Quiksilver Saquarema Prime. Mas, já era tarde e só serviu para ele sair da "combination". A vantagem do australiano ainda era de 7,60 pontos e o francês não teve mais tempo de reverter o placar encerrado em 17,60 a 15,67 pontos da primeira vitória de Mitchel Coleborn em sua carreira no Circuito Mundial da ASP.

O australiano já havia feito duas finais em 2011 e em ambas terminou como vice-campeão, tanto no ASP 6-Star da Inglaterra, como no ASP 4-Star do México. Nas duas provas, acabou derrotado pelo francês Romain Cloitre e pelo porto-riquenho Brian Toth, respectivamente. Já Marc Lacomare tinha uma vitória no currículo e na mesma etapa do ASP 6-Star da Inglaterra em 2010.

Com os resultados no Quiksilver Saquarema Prime, o campeão Mitchel Coleborn faturou 40 mil dólares e subiu da 35ª para a 14ª posição no ranking mundial unificado da ASP com os 6.500 pontos computados. E o vice-campeão Marc Lacomare ganhou 20 mil dólares e também entrou na zona de classificação para o WCT de 2014, saltando do 41º para o 21º lugar no ranking que está garantindo até o 29º colocado, o brasileiro Jadson André.

BRASIL NAS SEMIFINAIS

O grande público que encheu a Praia de Itaúna no domingo ficou decepcionado com a eliminação dos brasileiros nas semifinais, mas ainda aplaudiu bastante o surfista local de Saquarema, Raoni Monteiro, após sua derrota para Mitchel Coleborn. A contusão nas costas prejudicou um pouco o brasileiro, enquanto o australiano ia espancando as ondas com manobras fortes para arrancar duas notas na casa dos 8 pontos dos juízes. Mesmo assim, Raoni conseguiu mais um ótimo resultado em casa para subir da 26ª para a 15ª posição no ASP World Ranking, que indica dez surfistas para o WCT do ano que vem.

"Pra mim já foi uma vitória chegar na semifinal em casa, com a galera toda torcendo e passando aquela vibração positiva pra chegar na final, mas não deu", lamentou Raoni Monteiro. "Dois anos atrás eu bati na trave aqui, terminei como vice-campeão e esse ano eu lutei bastante, competindo ontem (sábado) e hoje com dores nas costas. Tentei fazer o máximo nessa bateria, só que não consegui pegar boas ondas. O Mitchel (Coleborn) pegou as melhores que entraram na bateria e mereceu vencer".

Raoni também falou sobre os próximos desafios, pois viaja nesta semana para as etapas do WCT em Fiji e na Indonésia. "Pois é. Já recebi um e-mail dizendo pra gente levar prancha grande e até colete, porque o mar vai estar enorme em Fiji denovo e vou com tudo pra lá. Só espero que não me machuque de novo como no ano passado em Fiji. É disso que preciso para continuar bem no ranking, pois venho lutando contra contusões nos últimos três, quatro anos. Machuquei o joelho, depois tornozelo, joelho de novo, agora as costas, mas continuo trabalhando duro pra atingir meus objetivos e sei que todo esforço valerá a pena no final".

Já o paulista Gabriel Medina chegou bem mais perto da vitória e liderou quase toda a semifinal contra Marc Lacomare. O francês reagiu com três manobras fortes em uma longa esquerda e passou à frente com a nota 8,00 recebida dos juízes. Medina ficou precisando de 7,58 pontos e tentou a virada três vezes. Na última chance, a onda era pequena e o brasileiro arriscou tudo para tentar a classificação pra final. Quase conseguiu, mas a nota saiu 7,23 e o placar ficou em 14,80 a 14,46 pontos. Medina saiu decepcionado da praia, mas o terceiro lugar foi mais um ótimo resultado para o fenômeno de Maresias, que também ficou nas semifinais da etapa brasileira do WCT no Rio de Janeiro, disputada antes do Quiksilver Saquarema Prime.

DUELOS BRASILEIROS

Com a combinação dos resultados do sábado na Praia de Itaúna, os brasileiros tiveram que se enfrentar nas quartas de final e apenas dois avançaram. No primeiro duelo do dia, o local de Saquarema, Raoni Monteiro, derrotou o potiguar Jadson André e na terceira bateria o paulista Gabriel Medina superou Simão Romão. O carioca ainda surfou a melhor onda (nota 8,43), mas foi batido pelas duas notas na casa dos sete pontos do fenômeno de Maresias.

Apesar das eliminações, o quinto lugar no Quiksilver Saquarema Prime foi um ótimo resultado para os dois. O natalense Jadson André saiu da elite do WCT no ano passado e agora entrou na lista dos dez surfistas que o ASP World Ranking classifica para a divisão principal do ASP Tour. Já Simão Romão ganhou 284 posições com os 3.320 pontos computados, saltando do 325º para o 41º lugar no ranking unificado da ASP.

G-10 PARA O WCT 2014

O Quiksilver Saquarema Prime provocou três mudanças de nomes no G-10 do ASP World Ranking para o WCT de 2014. O primeiro a entrar na zona de classificação foi o potiguar Jadson André, depois o australiano Mitchel Coleborn e por último o francês Marc Lacomare. Os três tiraram da lista na Praia de Itaúna o australiano Jay Thompson, o norte-americano Kolohe Andino e Jonathan Gonzalez, das Ilhas Canárias. 

FINAL DO QUIKSILVER SAQUAREMA PRIME

Campeão
Mitchel Coleborn (AUS) com 17,60 pontos (notas 8,93+8,67) - US$ 40.000 e 6.500 pontos

Vice-campeão
Marc Lacomare (FRA) com 15,67 (notas 10,00+5,67) - US$ 20.000 e 5.200 pontos

SEMIFINAIS - 3.o lugar - US$ 11.000 e 4.225 pontos:
1.a: Mitchel Coleborn (AUS) 16.60 x 9.33 Raoni Monteiro (BRA)
2.a: Marc Lacomare (FRA) 14.80 x 14.46 Gabriel Medina (BRA)

QUARTAS DE FINAL - 5.o lugar - US$ 7.000 e 3.320 pontos:
1.a: Raoni Monteiro (BRA) 13.77 x 11.77 Jadson André (BRA)
2.a: Mitchel Coleborn (AUS) 16.77 x 12.57 Dion Atkinson (AUS)
3.a: Gabriel Medina (BRA) 14.87 x 13.90 Simão Romão (BRA)
4.a: Marc Lacomare (FRA) 16.23 x 11.54 Aritz Aranburu (ESP)

G-10 DO ASP WORLD RANKING - 11 etapas (3 do WCT+2 Prime+6 Star):
01: Adriano de Souza (BRA) - 19.843 pontos
02: Jordy Smith (AFR) - 17.200
03: Kelly Slater (EUA) - 15.200
04: Adrian Buchan (AUS) - 13.675
05: Mick Fanning (AUS) - 13.316
06: Nat Young (EUA) - 13.086
07: Taj Burrow (AUS) - 12.080
08: Filipe Toledo (BRA) - 12.023
09: Joel Parkinson (AUS) - 11.880
10: Julian Wilson (AUS) - 11.505
11: Gabriel Medina (BRA) - 10.725
12: Michel Bourez (TAH) - 10.500
13: Josh Kerr (AUS) - 10.325
14: Mitchel Coleborn (AUS) - 9.666 - 1.o do G-10
15: Raoni Monteiro (BRA) - 8.875 - 2.o do G-10
16: Matt Wilkinson (AUS) - 8.843
17: Sebastian Zietz (HAV) - 8.534
18: Dusty Payne (HAV) - 7.888 - 3.o do G-10
19: Dion Atkinson (AUS) - 7.596 - 4.o do G-10
20: Willian Cardoso (BRA) - 7.540
21: Marc Lacomare (FRA) - 7.420 - 5.o do G-10
22: Glenn Hall (IRL) - 7.344 - 6.o do G-10
23: Brett Simpson (EUA) - 7.180
24: Aritz Aranburu (ESP) - 6.840 - 7.o do G-10
25: Adam Melling (AUS) - 6.450 - 8.o do G-10
26: Jeremy Flores (FRA) - 6.400
27: Alejo Muniz (BRA) - 6.253 - 9.o do G-10
28: Bede Durbidge (AUS) - 6.166
29: Jadson André (BRA) - 5.970 - 10.o do G-10
- - - - - próximos sul-americanos até 100:
41: Simão Romão (BRA) - 3.404 pontos
44: Caio Ibelli (BRA) - 3.303
53: Bernardo Pigmeu (BRA) - 2.400
60: Wiggolly Dantas (BRA) - 1.830
61: Jessé Mendes (BRA) - 1.814
64: Jean da Silva (BRA) - 1.680
68: Heitor Alves (BRA) - 1.618
71: Tomas Hermes (BRA) - 1.543
74: Peterson Crisanto (BRA) - 1.508
74: Gabriel Villaran (PER) - 1.508
87: Alex Ribeiro (BRA) - 1.323
89: Messias Felix (BRA) - 1.267
90: Ricardo dos Santos (BRA) - 1.255
94: Bino Lopes (BRA) - 1.203
95: Marco Fernandez (BRA) - 1.201
99: Cristobal de Col (PER) - 1.131
100: Matheus Navarro (BRA) - 1.126
101: David do Carmo (BRA) - 1.122

Redação Estrela Náutica
Fonte:
Assessoria de imprensa


Pagamento

Pagseguro UOL

Desenvolvimento

Desenvolvido por BR Web Design

ESTRELA NÁUTICA - Todos os direitos reservados

No Estrela Náutica, você vende ou compra a sua embarcação e tem acesso a um universo de informação, com fotos e vídeos das mais belas imagens. A seção Guia de Empresas traz os nomes do mercado que fornecem serviços, acessórios e produtos. Em Notícias, você encontra tudo sobre o mercado e a indústria náutica. Já em Esportes Náuticos, aprecie as modalidades mais praticadas e seus campeonatos principais. Novidades e eventos do ramo estão em Fique por Dentro. Na seção Colunas, entrevistas com profissionais do setor e entusiastas, que expõem seus conhecimentos e compartilham dicas excelentes. E para os marinheiros, de primeira viagem ou mais experientes, vale a pena conferir o Manual do Navegante.

O portal também proporciona a experiência de conhecer locais incríveis para navegar pelo Brasil. Com apenas alguns cliques na seção Onde Navegar, você ganha mais intimidade com os melhores pontos turísticos do País e seus estabelecimentos de qualidade.