LANCHA DE PROA ABERTA OU CABINADA?

O que observar e avaliar na hora da escolha?

Pode parecer uma decisão simples, mas não é. Durante todos esse anos trabalhando com vendas de embarcações me deparei com clientes me questionando se é melhor uma lancha de proa aberta ou cabinada e a resposta sempre foi composta de outras perguntas que são cruciais para ajudar você na hora da escolha. São elas:

  • Onde você navegará?
  • Com quem navegará? Família, amigos, quantas pessoas?
  • Tem filhos pequenos?
  • O que te encanta na lancha cabinada?

Essas perguntas foram respondidas por mim de maneira bem simples em nosso IGTV do Instagram: https://www.instagram.com/tv/B-NJ4m2g9Y2/?utm_source=ig_web_copy_link

Costumo dizer que não há uma lancha melhor que outra e sim a lancha que atende as suas necessidades.

Onde você navegará?

Quando me refiro ao local de navegação (represa, lago, rio, mar) não o faço à toa, pois o local é um fator importantíssimo a ser avaliado na hora da escolha. Isso porque, além dos limites da própria embarcação (quanto ao porte – pequeno, médio ou grande – ), você deve avaliar a questão do conforto e da distância até possíveis pontos de apoio. Ficou claro? Não?

Explico melhor: Quando está navegando em represas, rios ou lagos, cuja distância até marinas, clubes ou mesmo às margens é relativamente curta, rápida, você pode considerar uma lancha de proa aberta. E quando eu cito essa distância até pontos de apoio, é por conta de dois fatores muito simples, que são a ausência de vaso sanitário na embarcação (no caso das lanchas menores) e a ausência de cabine para se proteger eventualmente de uma mudança de tempo abrupta, com chuva forte, por exemplo. Dessa forma, se eventualmente mudar o tempo, ou você / passageiros necessitarem usar o banheiro, podem facilmente voltar ao ponto de apoio.

Além disso, a lancha de proa aberta proporciona melhor distribuição de peso na embarcação e melhor interação entre piloto e passageiros.

Focker 265 FX Proa Aberta – Divulgação Focker

Existem embarcações de proa aberta que permitirão que navegue tanto em águas abrigadas, quanto no mar, mas você deve se atentar aos limites de sua embarcação e é claro, aos limites de sua habilitação (Arrais).

Com quem navegará?

Essa pergunta é simples, pode parecer óbvia ou para algumas pessoas irrelevante, mas não é. Você precisa ao menos ter noção de quantas pessoas navegarão com você, até porque cada embarcação tem seu limite de passageiros e tripulantes homologado junto à Marinha e não é à toa. Sempre abordo em meus vídeos que SEGURANÇA vem em primeiro lugar e a integridade física de todos a bordo é de total responsabilidade do piloto da embarcação. Por isso, avalie bem essa questão para não ultrapassar os limites da capacidade de passageiros.

Tem filhos pequenos?

Uma das justificativas para adquirir uma lancha cabinada é justamente essa. Tenho filho (s) pequeno (s). Isso porque a preocupação é abrigar as crianças do sol ou da chuva. A referida preocupação é válida, pessoal, mas atentem-se ao seguinte aspecto: lancha cabinada, mas de pequeno porte, não tem ar condicionado na cabine e você terá que contar com uma ventilação natural muito boa, o que geralmente não acontece quando parada. Portanto, a cabine vira uma sauna e bem sabemos que o mormaço também queima a pele, não é mesmo?

Para proteger-los da chuva ou do mau tempo, há uma solução simples e prática: a capota de sol com fechamento total. Além do investimento ser consideravelmente menor, você disporá de mais espaço para os passageiros, como dito no vídeo que está lá no IGTV.

O que te encanta na lancha cabinada?

Focker 255 GTC – Divulgação Focker

Os clientes sempre sonham com a lancha que tem o “quartinho”. Já as mulheres adoram o solário de proa (aquela espaço onde tem um grande acolchoado para tomar o sol) e o banheiro que a lancha cabinada tem. Estou errado?

O que muitos não avaliam é que embarcação cabinada quando não tem o tamanho adequado para atender as suas expectativas acaba te frustrando muito, porque em pouco tempo, uma lancha com a cabine pequena se tornará um grande depósito. Isso mesmo, depósito! De material de salvatagem, de bóia, de prancha, de bolsas etc.

E aí me perguntam: qual o problema nisso, Flávio?

Simples. Além de tornar-se um espaço inútil, morto, aumentará a concentração dos passageiros na parta traseira do cockpit, próximo à popa da lancha e dessa forma você terá naturalmente mais dificuldade em planar essa lancha, tendo que aumenta a aceleração e consequentemente, terá aumentado o consumo de combustível.

Quanto ao solário de proa, tão sonhado e querido entre o público feminino, preciso pontuar que não é o local apropriado e seguro para permanecer durante a navegação, isso em embarcações de pequeno porte, pois não tem o guarda corpo ou estruturas para segurar. Além disso, você pode facilmente adaptar um solário de proa em lanchas de proa aberta, no caso das que já não saem dessa forma de fábrica e navegar com tranquilidade ale, uma vez que há uma “borda” estrutural do próprio casco, evitando que você escorregue e caia na água durante a navegação. Portanto, mais uma vez você deve analisar a questão principal: SEGURANÇA!

Se restaram dúvidas, entre em nosso Instagram @estrelanautica e confira no IGTV o vídeo onde eu abordo o tema.

Texto: Flávio Neto

Deixe uma resposta